domingo, 13 de novembro de 2016

Alien Hominid: Game Boy Advance

Parece que essa coisa de aliens e governos mundiais está sempre presente nos games, eu tento escapar do tema mas é muito difícil, sério! Alien Hominid é uma mistura de conspiração governamental, gameplay à moda Metal Slug, associado a um design extremamente artístico, caricato, cartunesco e cheio de humor, mas com muito humor mesmo, nos níveis de Simpsons e South Park.



Eu joguei pela primeira vez Alien Hominid no Game Cube, faz muito tempo atrás, e nunca tive a informação de que ele teria versões para outras plataformas. Na minha mente era apenas um jogo "leve" para o console, algo que alguma desenvolvedora resolveu por no console da Nintendo, fazia todo sentido... jogo bonitinho, 2D, colorido... enfim, Nintendo. Mas eu estava, ainda bem, redondamente enganado.


Por completo acaso, olhando o título do jogo na Wikipedia, me deparo com a informação de que ele também saiu para PC, XBOX, XBOX 360, Playstation 2... e, o susto! Game Boy Advance! Na hora o sinal de "alerta" começou a piscar na minha cabeça! E tem um motivo, o jogo era excelente no Game Cube e poderia ser também no portátil da Nintendo.


cair do espaço exatamente na sede do FBI, é um acontecimento irônico que logo na entrada do jogo mostra o potencial do humor escrachado de Alien Hominid

E essa intuição, este "sinal de alerta" está baseado simplesmente no motivo de que o game é basicamente uma animação estilo cartum, e o GBA é de certa forma um "Super Nintendo de bolso", e tanto o Super Nintendo quanto o GBA, são consoles excelentes para gerar gráficos cartunescos em 2D! Oras, é claro que a conversão poderia ser bem próxima do real, mas poderia ser bem próxima do Game Cube? A resposta é, sim!

Eu explico meu ponto aqui. Por exemplo. O fato de Tomb Raider também ter para GBA, é legal mas não causa nenhum impacto ou curiosidade, pois sabemos que é um port, e sabemos que vai ficar restrito as limitações do hardware do portátil, jamais será algo próximo do Playstation 1, 2, Sega Saturn ou do próprio Game Cube, que também recebeu Tomb Raider. Mas não! Estamos falando de um jogo interessante e que sim, o GBA poderia fazer uma versão "à altura", pois não é um jogo 3D e também não é um jogo pesado. Logo, as chances eram interessantíssimas!

Não deu outra. Alien Hominid é excelente no GBA da mesma forma que no Game Cube, e isso é estranho, pois dificilmente vamos ver algo assim outra vez acontecer. Eu não conhecia o game a fundo, mas só depois dando uma pesquisada para escrever aqui é que eu entendi o motivo do game ser como ele é. Ele é na verdade um game indie que saiu para jogos em Flash, pasmem!


um alienígena sem carteira e dirigindo um bulldozer...acho que o FBI mexeu com o alien errado

Ganhou vários prêmios da categoria e foi portado para várias plataformas. Mesmo assim, sendo um jogo que podemos considerar indie, Alien Hominid do Game Cube e do GBA que tive contato, é tão bem feito e tão denso na jogabilidade (não na história) e design das fases, que é difícil acreditar que ele teve uma origem "humilde".

Mas de todo modo, o que importa é o jogo em si, e para a biblioteca do GBA ele é muito bom, por outro lado, eu não posso falar o mesmo em relação as outras plataformas. Se este jogo fosse da versão do Game Cube, com certeza o viés do texto seria um pouco diferente, afinal de contas, no Game Cube o nível dos jogos é outro, mas falando de GBA, Alien Hominid casa perfeitamente com a plataforma e fica sem dúvida como um destaque do sistema.

sim, é claro que a área 51 foi lembrada no jogo, assim como Roswell também...

O humor do game é a marca principal. Logo de cara temos um alien que inadvertidamente teve problemas com sua espaçonave e acaba caindo na Terra, mas detalhe, ele cai justamente na frente do prédio do FBI... e claro, rapidamente sua nave é retirada do local, os agentes saem varrendo tudo, literalmente, os personagens varrem com uma vassoura o chão da queda e como se não bastasse, aparece dois dos agentes (bem no estilo Homens de Preto) segurando uma placa com os dizeres:

"Nothing to See Here"

E para fechar a abertura altamente humorística, temos uma placa na frente do prédio com os dizeres:

"We Kill Aliens"

Só isso já dá para ter uma ideia do humor do jogo. Mas vai além disso, o humor é ácido. Enfrentamos a todo momento agentes dos órgãos do governo americano, matamos a todo momento um monte deles. Lembra que eu falei de Metal Slug? Então. Imagine toda aquela agitação de tiros e matança de Metal Slug mas com a roupagem de um alienígena bonitinho e vários agentes, todos iguais até certa parte, tentando aos montes te derrubar com tiros.


se no início tínhamos o FBI como um problema, agora a "pedra no sapato" do simpático alien são a KGB

Existe também o outro lado. O soviético. Claro que os russos não poderiam ficar fora dessa. O objetivo do nosso alienígena é recuperar sua nave que foi resgatada pelo FBI, mas durante sua jornada, o alien recebe ajuda de um garotinho que eventualmente lhe oferece armas e outras dicas. Essa inserção do garotinho foi a forma que o pessoal que desenvolveu o jogo encontrou para fazer um link entre o alienígena e o jogador (humano).

Acho que isso traduz bem a mensagem de "paz" que o jogo tenta passar, que apesar do alien estar detonando vários humanos, agentes do FBI e KGB é verdade, mas mesmo assim humanos, existe a compreensão e ajuda de outro humano, uma criança, que simboliza de certa forma o jogador, simboliza  e sinaliza que alguns de nós não estamos querendo destruir o alienígena, mas sim ajudá-lo a chegar a sua nave e ir embora para casa. Não deixa de lembrar um pouco a premissa do filme ET, de Steven Spielberg.

O lado soviético que eu citei é que também passamos pela "mãe Rússia" em determinada fase, e por lá, temos também agentes... mas agora o bicho pega, agora é a KGB o nosso maior problema. Na Rússia fazemos amizade até um um "homem das neves gigante" ou um Yeti como chamam, que estava preso e nós o soltamos.


nosso "amiguinho peludo" aí em cima, estava preso pelos soviéticos, mas agora ajuda o alien na sua jornada

Mas a ajuda do garotinho é constante e vai até o fim do game. Em resumo:

O alien azarado cai na Terra, o FBI pega sua nave, ele o alien vai tentar recuperá-la, e na jornada, enfrentamos americanos, russos, e chefes de fase mecânicos e biológicos, como uma centopeia gigante.


é nessas horas que todo ser vivo tende a borrar suas partes inferiores... o alien está prestes a cair no pálido ponto azul...

A jogabilidade é precisa, leve, maravilhosa. Afinal, estamos falando de uma cópia, no bom sentido, de Metal Slug. Imagine tudo que Metal Slug tem de bom, Alien Hominid tem também em relação a sua jogabilidade. Podemos atirar, de perto esfaquear, atirar em quase todas as direções, exceto nas diagonais e temos também a carga de tiro, isto é, ao manter pressionado o botão, soltamos um tiro concentrado, à moda Mega Man. Mas tem mais. Ao pular e apertar o botão de tiro no momento certo, caímos em cima dos inimigos e podemos "controlá-los" por alguns segundos. É como quando uma criança fica sentada no pescoço do pai e lá de cima, ela pode ver um mundo diferente do plano da sua altura.

se pressionamos o botão de tiro enquanto estamos em cima do agente... nós mastigamos sua cabeça. Esse jogo é o que eu chamo de "jogos de terror fofinho"

E de fato, nosso Alien Hominid é baixinho. Lembra um pouco a Formiga Atômica, quem é das antigas sabe que desenho é esse. O design das fases fazem homengem ou referência a alguns jogos clássicos. Não sei se foi intencional mas eu percebi isso. Jogos como Contra, obviamente Metal Slug, Asteroids, jogos de Atari em geral também são lebrados, mas é muito sutil, excetuando Metal Slug. Por isso só quem jogou bastante Atari e Nintendo vai entender ou identificar essas referências, intencionais ou não.

O humor é bem concentrado no jogo, mas boa parte da responsabilidade disso fica por conta dos gráficos cartunescos. Todos feitos à mão. Se você quer saber qual é a experiência de jogar algo no GBA onde tudo foi literalmente feito à mão, sem computador no processo original, então jogue essa pérola.

Quem assina os desenhos, que obviamente complementa todo o humor do jogo, se chama Dan Paladin. É um traço muito bonito, que deixa tudo com cara de "tirinhas de jornal", mais o trabalho de coloração que finaliza a obra. Não é um jogo focado na arte, mas contém um traço artístico muito funcional, que está ali essencialmente para potencializar as piadas do game. Tipo Simpsons!

o que temos aqui é um sub chefe e um agente. É incrível que mesmo com a repetição de agentes em quase todo o game, o mesmo não fica chato ou repetitivo, eu não sei explicar isso

Ao passar pelas fases podemos desbloquear minigames. Como o jogo principal é relativamente curto, e não é muito difícil no level normal, os mini games dão um fôlego extra para o game. Claro que os minigames também não perderam tempo e são bem engraçados também. Temos o chamado, Chicken Lickin. Onde nosso objetivo é bater com um taco de baseball na bunda de uma galinha que cai do céu. O outro se chama Super Soviet Missile Mastar, sim com (a) mesmo, aqui temos que "levar" um míssil soviético até o território americano... um "presente" da guerra fria que nunca se concretizou, tudo no design de gráficos de Atari.


esse objeto fálico é um míssil nos moldes do Atari, mas dá para reconhecer ali os USA, e olha só o detalhe da timeline abaixo com a foice e o martelo

Agora eu sei como seria a segunda geração de consoles se a tecnologia fosse toda soviética e não nipo-americana! Obviamente os heróis seriam outros! E jogos como Communist Mutant From Space estariam bem desatualizados. E por último temos o melhor de todos que foi recortado de uma parte do jogo principal. Ele se chama Chipper. Aqui estamos dentro da nave, e com um raio laser de sucção, temos que capturar agentes e jogá-los dentro de uma máquina de moer carne, e ao mesmo tempo, sugar uma bola de energia explosiva e soltá-la em cima de um tanque americano.


se você jogou Cosmic Ark do Atari alguma vez, provavelmente vai se dar bem neste mini game

Apesar da notável violência explícita, com sangue saindo dos inimigos constantemente, isso fica bem atenuado por dois motivos. Um pelo humor explícito do jogo, e, dois, pelo desenho cartunesco que faz com que tudo pareça uma brincadeira, nada nem perto do realismo que um Mortal Kombat proporcionava lá nos 16 bits. Mesmo assim, é um console Nintendo, e existe uma opção para desligarmos o "Gore", evitando que apareça sangue, onde o mesmo é substituído não por sangue verde ou algo assim, mas é substituído por...flores!


com o "gore" desligado, nós temos flores saindo dos agentes ao serem atingidos, imagine se isso fosse aplicado em Mortal Kombat no Super Nintendo na época... seria a desmoralização total da Nintendo

Alien Hominid é estranhamente interessante porque tem as origens voltadas para um jogo típico de smartfone, mas ao mesmo tempo, oferece um gameplay muito robusto que o torna um respeitável jogo de Game Boy Advance. O jogo não é longo, mas é intenso. Não tem uma história, mas se apoia em piadas e clichês do tema alienígenas, não tem uma soundtrack que chame a atenção, mas possui efeitos sonoros marcantes. Enfim, um ótimo jogo, mas com uma proposta bem definida. A diversão acima de tudo, até dos órgãos do governo.

16 comentários:

  1. Foi o jogo que levantou a moral da Newgrounds que tinha jogos muito lixões seja em duração ou ideia, esses mesmos revendidos em cds de revistas pra PC, tentando impressionar a garotada com os tais 100 ou 200 jogos. Vou baixar então a versão de GBA pra ver. Ele conseguiu adaptar bem o estilo do Metal Slug pro Flash que permite melhor esse traço cartunesco mais toscão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que eu nem lembro dessa Newgrounds. Provavelmente devo ter jogado algo dela mas não memorizei o nome. E de fato não achei nada interessante no mesmo tipo que Alien, mas sei lá kkkkkk. Aquelas revistas antigas de PC´s tinham de tudo um pouco, jogos, descompactadores, aquelas clipart´s kkkkk lembra disso? Aliás eu acho que este game é a alma do GBA, quero dizer foi feito pra ser dele mesmo, nem deveria ter sido lançado para outras plataformas!
      Abração Doc!

      Excluir
  2. Nunca joguei esse daí, mas a Behemonth é responsável por alguns dos jogos que mais joguei na Steam (Castle Crashers e Battle Block Theater), sendo que esses aliens amarelos até aparecem em uma fase do Castle Crashers e podem ser desbloqueados como personagens jogáveis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa do Castle Crashers eu não sabia. Legal mesmo! Eu sou apenas console gamer, jogo muito pouco games de PC mas tenho uma inveja no bom sentido da STEAM kkkkkkk
      Mas pode ter certeza que este game no GBA traz todo o clima "indie" que alguns games da STEAM também oferecem.
      Grande abraço Duran!

      Excluir
    2. O Battle Block eu não sei, mas o Castle Crashers também está disponível para consoles, eu recomendo muito.

      Excluir
    3. Tanto o Battle Block e o Castle Crashers foram lançados para os consoles de mesa. E ainda tem alguns jogos exclusivos do estúdio, lançados apenas no newsground
      http://danpaladin.newgrounds.com/games/

      Excluir
    4. @Duran
      Rapaz, tem muito mais jogos relacionados a Alien Hominid que eu nem imaginava! Eu nem sabia dessa, Duran. Dê uma olhada no link que o Luiz deixou aí embaixo. O Dan Paladin é o artista dos jogos, todos eles.

      @Luiz
      Valeu pelo complemento Luiz, abração!

      Excluir
  3. A jogabilidade e animações deste jogo ficaram ótimas.

    Eu conheci Alien Hominid no PC, era daqueles jogo em flash, acho que depois disso ele foi aparecer em consoles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficaram mesmo LGD! Por isso que eu até falei ali pro DOC, que este jogo tem a "alma do GBA". Eu realmente fiquei surpreso ao saber que ele é das origens do Flash. E você chegou a jogar desta forma original, legal mesmo! Confesso que sempre tive preconceito com joguinhos em Flash... acho que foi por isso que nunca tinha visto ele antes.
      Valeu LGD, abraço!

      Excluir
  4. Ulisses, parabéns pelo blog!!! Estou dando uma vasculhada no conteúdo e realmente estou gostando de tudo aqui.

    Confesso que não conhecia esse jogo, mas me deu uma vontade louca de experimentar depois de ler esse seu excelente texto.

    Eu me amarro pacas em games que possuem um gameplay simples (como esse semelhante ao Metal Slug), mas com um plano de fundo que envolva política e humor de uma forma sútil e bem mais intensa (seguindo o estilo de Conker's Bad Fur Day"). Games que apesar de possuem um enredo extremamente ficticio, não ignoram os acontecimentos da nossa realidade.

    E eu diria ao contrário, esse game tem mais cara de PC do que qualquer outra coisa. Geralmente games que seguem esse estilo que eu citei não aparecem em consoles da Nintendo.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Jules!
      Os jogos mais simples quando extrapolam a questão da pura ficção e dá um passinho a mais fica mais intenso até mesmo pelo contraste entre brincadeira e realidade. É claro que um jogo como Call of Duty ou Metal Gear possuem uma dramaticidade e realismo muito maiores, mas ali nós já estamos esperando por isso de certa forma, nos jogos mais simples, não. Vale pela surpresa!
      Analisando os critérios da Nintendo eu devo concordar com você, sem dúvida é um jogo com a liberdade de um PC, mas no caso do GBA eu me refiro em especial a parte cartum, gráficos básicos que caíram muito bem para o portátil, e claro, o fator de ser em 2D. Inclusive tem muita gente que fala que Conker's Bad Fur Day "saiu da linha" e ficou um jogo não esperado para o estilo Nintendo de ser. Bem lembrado. Eu preciso jogar até o final ele, deve ser um ótimo game, um jogo Nintendo "com pimenta" kkkkkkkkkk
      Mas K entre nós... para um jogo de Game Cube, Alien Hominid ficou meio que um estranho no ninho ali kkkkkkkkk
      Obrigado pelos elogios Jules!

      Excluir
    2. Sim, sim, sim!!! O cara pode ser o maior especialista em games retrô, mas a biblioteca do Game Boy Advance e do Playstation 2 são muito ricas. É difícil conhecer todos, e em casos de jogos como Alien Hominid ele acaba se perdendo nessa infinidade de games. Tenho de confessar é extremamente divertido a versão de GBA, comecei a jogar aqui. Muito bom msm!!!

      Excluir
  5. excelente post!

    deu vontade de jogar (principalmente a versão de ps2)!

    abç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jogue mesmo Scant! O game é bem divertido.
      Abração Scant!

      Excluir
  6. Poxa, achei o jogo adorável! Gráficos bem bonitinhos e acabei assistindo um trecho curto do gameplay, parece bem fluido e gostoso de jogar mesmo!
    Dei risada da carinha de bravo que colocaram pra simbolizar o sub-chefe ao lado de sua barra de saúde.
    Mais um pra colocar na lista, com certeza! Gosto de jogos assim.
    Ótimo texto, ótima dica!

    ResponderExcluir